Maria LUISA Lopes de Castro e BRITO

lbrito

  • 2012, Agregação, ISA-UTL.
  • 1997, Doutoramento em Engenharia Agro-Industrial, ISA, UTL
  • 1989, Mestrado em Biotecnologia (Engenharia Bioquímica), IST, UTL
  • 1983, Licenciatura em Engenharia Agro-Industrial, ISA, UTL


Unidades Curriculares leccionadas

  • Biotecnologia - Licenciatura em Biologia, ISA/UTL.
  • Biotecnologia Vegetal - Mestrado em Engenharia Agronómica, ISA/UTL.
  • Controlo de Contaminantes e Patogénios Alimentares - Mestrado em Engenharia Alimentar, ISA/ULisboa.
  • Estágio - Licenciatura em Engenharia Alimentar, ISA/ULisboa
  • Métodos Moleculares de Diagnóstico - Mestrado em Engenharia Alimentar, ISA/ULisboa.
  • Microbiologia - Licenciatura em Biologia, ISA/ULisboa.
  • Microbiologia Molecular - Mestrado em Engenharia Alimentar, ISA/ULisboa
  • Projecto - Licenciatura em Biologia, ISA/ULisboa.
  • Técnicas Laboratoriais em Biologia - Licenciatura em Biologia, ISA/ULisboa.

Actividades de Investigação

  • Membro do Centro de de Investigação em Agronomia, Alimentos, Ambiente e Paisagem (LEAF - Linking Landscape, Environment, Agriculture and Food), sítio na Internet: http://www.isa.ulisboa.pt/en/leaf/presentation
  • Dentro do nosso grupo, a investigação realizada, em Listeria monocytogenes - estado planctónico e estado de biofilme - tem como principal objectivo esclarecer os mecanismos associados à persistência desta bactéria no ambiente das Indústrias Alimentares, nomeadamente através de:

(i) tipificação molecular;
(ii) avaliação de susceptibilidade;
(iii) avaliação de virulência;
(iv) análise de exoproteínas;
(v) análise transcriptómica.

Os resultados disponíveis acerca do exoproteoma estão a ser validados pela produção de mutantes e por estudos de transcriptómica relativamente a genes que codificam para proteínas específicas.

  • Outras linhas de investigação desenvolvidas no grupo incluem o estudo de outras bactérias patogénicas de origem alimentar, nomeadamente Escherichia coli (EHEC) e Salmonella enterica. Destaca-se o estudo do efeito de probióticos na atenuação da virulência destes patogénios.
  • A fermentação bacteriana de sumos de frutas e vegetais conduziu já a soluções muito interessantes como potenciais alimentos probióticos alternativos.
  • A caracterização da susceptibilidade de fungos patogénicos de pomóideas a diferentes biocidas é um trabalho em curso, com vista à substituição dos fungicidas de síntese em uso, para a redução de perdas pós-colheita.
  • Procura-se, desta forma, manter interacção com o sector produtivo transferindo, sempre que possível, resultados da investigação para a Indústria.

Contactos

Laboratório de Microbiologia
DRAT (Departamento dos Recursos Naturais Ambiente e Território)
Instituto Superior de Agronomia
Universidade de Lisboa
Tapada da Ajuda
1349-017 Lisboa
Telefone: 351 21 365 3435
E-mail: lbrito@isa.ulisboa.pt

Secretariado: Isabel Silva
Telefone: + 351 21 365 3240
Fax: + 351 21 365 3383
E-mail: isabelsilva@isa.ulisboa.pt

Consultar CV detalhado (Detailed CV)

( Categorias: )